Você sabe quanto vale seu dinheiro? Então confira!

Digamos que eu esteja lhe devendo R$ 100. Você prefere receber o dinheiro agora, ou daqui a um ano? Sou capaz de apostar outros R$ 100 como você respondeu “agora”. E porque você gostaria de ter o dinheiro hoje, e não daqui a longos 365 dias? Você pode me dar uma série de bons motivos, a começar pelo fato de que o dinheiro na mão lhe permitirá comprar, agora, coisas de que você necessita; quem sabe depositar na caderneta de poupança e, com isso, ampliar seus rendimentos; pagar uma dívida que vem lhe deixando sem dormir, e por aí vai. Por trás dessa sua decisão, está um dos conceitos mais importantes da Matemática Financeira: o de que o tempo muda o valor do dinheiro. R$ 100 daqui a um ano valem menos do que R$ 100 hoje. Você até pode concordar em receber daqui a um ano, mas certamente desejará ter uma recompensa, por isso. Essa recompensa é o que chamamos de juros.

O grande problema é determinar qual o tamanho correto desses juros. Se você empresta dinheiro a um banco, para receber daqui a um mês, o banco vai lhe pagar juros. O banqueiro acha que, nesse caso, é justo lhe pagar em torno de meio por cento, como recompensa.

E se for você que precisa do dinheiro? Aí o banqueiro acha que o justo é ele lhe cobrar quase 10 por cento pelo mesmo período. É como se o dinheiro dele valesse 20 vezes mais do que o seu.

Quando você for fazer compras lembre-se de que as lojas também acham que o dinheiro delas vale mais do que o seu. E cobram juros muito mais altos do que você receberia, se fosse emprestar dinheiro a elas.

Lembre-se, também, que a inflação de um ano, no Brasil, hoje, está em torno de 6,5 por cento.

E tome uma decisão que vai fazer muito bem ao seu bolso: não compre uma agulha sequer se for a prazo. Só compre à vista, e pedindo desconto. Se não der para comprar à vista (e com desconto), pergunte quanto seria a prestação, mas não compre. Vá juntando, todo mês, na caderneta de poupança, o valor da prestação.

Você vai ver que muitas vezes na metade do tempo será possível comprar, à vista, o que estava desejando. E ainda sobrará dinheiro.

Fonte: Nordeste Turismo

Veja também::

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *